Aquele abraço!






Um abraço,
Uma ação simples,
Um gesto fácil que não depende de dinheiro, ou de grandes esforços, não precisa de muito, mas cujo poder é incalculável, não pode ser aferido, porque é sem igual... ´

É terapêutico,
É remédio,
É proteção!

Acalma o coração,
Ameniza o excesso de preocupação,
Desacelera a emoção, e é bom para raciocinar melhor.

Naquele abraço, naqueles braços...

O tempo para, as pernas tremem,
 O coração bate descompassado,
Afeta a pressão, a respiração fica alterada.

 É o dito momento que não queremos que termine, queremos eternizar! Por segundos conseguimos. Só nós dois: unidos, juntos, bem juntos, avessos as circunstâncias... Por segundos no universo somos apenas nós dois. Respirando o cheiro um do outro, inalando o único cheiro que afaga os meus sentidos, que me provoca; que me assanha; que me entorpece e nas asas dos teus braços sinto-me privilegiado, um cara de sorte, portanto o homem mais feliz do mundo!

Nos teus braços perco-me... Teu corpo no meu roçando-me, tocando-me viro fogo, explodo em desejo.
Nos meus braços, nos teus braços um encaixe perfeito, um enlace harmonioso no qual não há receio, não existe hesitação.

Em meio aos problemas é de teu abraço que lembro. Em meios as aflições , quando as duvidas me cercam, quando me sinto sozinho ou quando o sentimento de impotência tenta me dominar é para teu abraço que eu corro...

Forte, apertado, profundo.

Teu abraço tem a capacidade de espantar os meus temores, afugentar a solidão; livra-me da dor, me salvar das garras da tristeza, e reforça a certeza que não estou sozinho. Nos teus braços encontro paz.

Então, abrace quem domina teus pensamentos,
Abrace quem domina teus sonhos,
Abrace quem domina teu coração,

Abrace, portanto, quem você ama.
Abraço é vida. E estar em teus braços é viver!




De Marcio  Fernando para Magaly Oliveira em reconhecimento que no teatro da minha existencia tu é a protagonista da minha historia , o presente que Deus me deu , com quem todo dia contraceno e por fruto decisão será assim pela eternidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário