A vida continua






A vida continua mesmo quando sofro,

Mesmo quando um amargo persiste na boca,
Mesmo quando o tempo parece conspirar contra os meus planos, contra os meus sonhos,
Mesmo quando acho que não vou conseguir.

A vida continua mesmo quando em lágrimas quero fugir. Quero deixar a realidade, desistir de tudo.


Mesmo quando não quero sair de casa porque um sentimento de temor me apavora. Mesmo quando a noite chega e reina absoluta em seu manto negro maltratando a ultima ilusão de esperança. Mesmo quando as ondas volumosas, furiosas saem de sua orbita e causa danos. Mesmo quando nuvens agitadas pelo vento transformam-se em perigo...


A vida continua se sofro; se estou angustiado, se não sei lidar com os meus problemas, ou se meu ente querido morreu, se não posso levantar porque meus pés dói ,ou porque ainda me sinto fraco, solitário.


A vida continua diante da minha dor, continua célere, bela, magnífica, voraz.


Ela não dar o devido tempo para chorar a minha dor, sofrer a minha desgraça, percorrer a estrada da derrota em paz. Por isso, se fores querer “curtir a fossa”, recompor-se certamente perdera o posto, alguém passara na tua frente, assim ficara para trás. Isso é fato.


Então, recomponha-se enquanto anda, enquanto segue em frente, enquanto percorre o teu caminho limpa as lagrimas, lave o rosto, porque não há tempo disponível para sentar, descansar e dar uma de coitadinho, lamentar.


A vida, portanto, não dar tempo nem para que eu me refaça. Continua mesmo perante minha morte, porque ela não para.

 





Errado, somos todos.

 







Todo mundo erra, é fato.

E isso  não nos deixa pior ou melhor do que ninguém, pelo contrario, nos deixa no mesmo patamar, na mesma posição, nos deixa iguais.



Se parássemos para pensar que todo mundo erra. Se parássemos para ponderar que todos nós tomamos decisões absurdas, que todos somos imperfeitos, maus, e que esse todo mundo inclui você e eu, então perdoaríamos mais, aceitaríamos as diferenças, não apontaríamos tantos os defeitos, não apedrejaríamos com frequência.


Pelo contrario, teríamos a atitude de fica no lugar do nosso próximo, aprenderíamos a ouvir antes de julgar, ou nem julgaríamos uma vez que o lugar em que nosso amigo estar já fomos um dia, mesmo se não fomos uma coisa certa já maculamos tanto nossas mãos quanto nossas vestes, assim sendo, a melhor atitude é a humildade.


Se entendermos que a estrada de todos nós, independente de qualquer que seja há dias que tem espinhos outros que há  flores, ou seja, ás oportunidades estão pra todos, não mais torceremos pela desgraça de ninguém nem sorriremos pela tristeza do meu próximo, mas prantearemos pelas derrotas um dos outros.


Se todos reconhecessem que somos errados, frágeis, vulneráveis;  a grande realidade ´é que todo mundo erra e que poucos perdoam , desapareceria as rivalidades ; o fato de um querer ser superior que o outro morreria, perderia o significado; o egocentrismo, o individualismo perderia o absolutismo, e o amor reinaria.


Finalmente, se entendêssemos que apesar de sermos indivíduos somos iguais ruiria as guerras, os muros religiosos, filosóficos, financeiros que excluem, isolam, criam diferenças não resistiria e sucumbiria. Penso que esse seria o dia aurío da historia da humanidade, o dia que todos entenderem que somos irmãos.

SANDRA, ANJO E DEMONIO

 


Sandra,


É um anjo

Um ser mulher que devora a calma,

Inspira versos, radia paz,

Gera contentamento, coragem,

Transmite felicidade num grau quase que divino.


É um demônio,

Um ser voraz, avassaladora,

Um vulcão em erupção que por onde passa deixa marcas,

Arranca suspiros, delírios, domina o pensamento de qualquer homem,

Alem de joga-los aos teus pés morrendo de desejo, consumido por volúpia,

Ardendo no anseio louco de pelo menos provar o necta de teus lábios,


Pois de fato, o desejo que impera na sua carne mortal não só se restringe a se esbaldar com os beijos teus, vai mais alem, anseia implacavelmente possuí-la, desfrutar do teu corpo, que é um mundo de luxuria.


Corpo esse sem igual, esbelto, escultural cuja forma é arte viva feita por mãos divina,

Nem o maior dos artistas poderia conceber tal escultura mimosa,

Perfeita, arranca versos, causa idealização,

Fantasias, murmúrios repletos de segundas intenções.


É a paixão,

Um ser caliente que faz os mortais entrarem em colapso,

Que faz os mortais entrarem em estado de choque,

Que faz os mortais sofrerem, imaginarem os mais variados momentos contigo,

Que faz os mortais em febre adoecerem de desejo.



Que brinca com, nós homens, libertinamente, deliberadamente,

Que atormenta os pensamentos. faz morada em nossa mente,

Que causa reação biológica desproporcional,

Que nos faz Perder a racionalidade.


Sandra é a perfeição encarnada em mulher!


Por isso, diante de tamanha maravilha de graça, de fogo, de anjo, de paixão, de desejo que é, e que sempre será confesso...


Preciso loucamente do teu corpo contra o meu, dos teus lábios sugando os meus numa febre doentia.


Preciso com violência sentir o teu gosto, teu cheiro, teu aroma fresco de baunilha.


Preciso deslizar minhas mãos no teu grande corpo, ouvir você estremecer. Quero desbravar cada particularidade com a língua,



Acariciar a aureola dos teus seios devagarinho, bem devagarinho, assim tê-los na boca sem piedade... Meu só meu. Delicadamente caminhar numa onda alienada sobre as linhas do teu abdômen, brincando com teu umbigo.


Ah, como minha língua anela bailar com a tua.

Meu corpo anseia unir-se ao teu na infinita vontade de apagar

A fome que me devora, saciar a sede que destroça meu viver.


Então, vem! Não me deixa esperando.



Por Adailson Pereira