Errado, somos todos.

 







Todo mundo erra, é fato.

E isso  não nos deixa pior ou melhor do que ninguém, pelo contrario, nos deixa no mesmo patamar, na mesma posição, nos deixa iguais.



Se parássemos para pensar que todo mundo erra. Se parássemos para ponderar que todos nós tomamos decisões absurdas, que todos somos imperfeitos, maus, e que esse todo mundo inclui você e eu, então perdoaríamos mais, aceitaríamos as diferenças, não apontaríamos tantos os defeitos, não apedrejaríamos com frequência.


Pelo contrario, teríamos a atitude de fica no lugar do nosso próximo, aprenderíamos a ouvir antes de julgar, ou nem julgaríamos uma vez que o lugar em que nosso amigo estar já fomos um dia, mesmo se não fomos uma coisa certa já maculamos tanto nossas mãos quanto nossas vestes, assim sendo, a melhor atitude é a humildade.


Se entendermos que a estrada de todos nós, independente de qualquer que seja há dias que tem espinhos outros que há  flores, ou seja, ás oportunidades estão pra todos, não mais torceremos pela desgraça de ninguém nem sorriremos pela tristeza do meu próximo, mas prantearemos pelas derrotas um dos outros.


Se todos reconhecessem que somos errados, frágeis, vulneráveis;  a grande realidade ´é que todo mundo erra e que poucos perdoam , desapareceria as rivalidades ; o fato de um querer ser superior que o outro morreria, perderia o significado; o egocentrismo, o individualismo perderia o absolutismo, e o amor reinaria.


Finalmente, se entendêssemos que apesar de sermos indivíduos somos iguais ruiria as guerras, os muros religiosos, filosóficos, financeiros que excluem, isolam, criam diferenças não resistiria e sucumbiria. Penso que esse seria o dia aurío da historia da humanidade, o dia que todos entenderem que somos irmãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário